domingo, 2 de maio de 2010

Algumas constatações...

A vida é mesmo cheia de surpresas e o humano é realmente bastante engraçado. Como falei anteriormente, passei por uma situação complicada recentemente, vivi um momento de despedida que de início achei que seria o fim da minha vida. De início pensei: E agora, como vai ser? Tentei de todas as formas sentir aquele sofrimento todo que eu teria que sentir, afinal as coisas são assim não é mesmo? Eu tinha que sofrer, eu precisava chorar...

Momentos depois me peguei chorando, no entanto, no instante seguinte me peguei com a seguinte questão: Porque estou chorando? Isso mesmo, e por incrível que pareça eu não conseguia elaborar uma resposta, do que mesmo é que eu tava sentindo falta? Parei, repensei, tentei uma nova elaboração, mas não teve mesmo jeito, eu não sabia o que tava sentindo... Sei lá, talvez eu tenha finalmente me tocado de algumas coisas, afinal tudo já estava tão distante, e eu que achei que morreria.

Minha racionalidade está exacerbada e eu acho que isso é bom, fiquei me perguntando o que eu tinha vivido durante todo esse tempo, algumas marcas ficaram é claro, elas sempre ficam e essa história também me trouxe aprendizado, mas eu decididamente NÃO consigo sentir aquela dor que deveria, aquilo de ficar se questionando como vai ser sabe? Como viver sem a pessoa? Como imaginar minha vida sem essa pessoa? Decididamente NÃO consegui, tava achando tudo tão estranho que fui antecipadamente pra análise, lá eu tinha que resolver essas questões.

Confesso que estou conhecendo aos poucos esse meu novo eu, jamais imaginei que eu tivesse tão bem resolvida, tão bem comigo e em pensar que me senti mal por isso. Sim, porque o que eu queria naquele momento era sofrer,chorar, encontrar culpados,dizer que minha vida não seria a mesma, mas não consegui, no início estava me sentindo super mal, mas depois resolvi aceitar todas as minhas emoções e sentimentos, da forma que estão acontecendo, sem maiores questionamentos. Juro que esperava um fim diferente, juro que esperava com aquela frase: Depois passa, tudo passa... Mas depois me perguntei: Passar o que? Existia ainda alguma coisa? Que "louco" é o humano, e esse me encanta mais e mais a cada dia.

Não quero ser cruel, tenho ainda uma admiração e muita gratidão por esse ser, foi bastante importante em alguns momentos e acredito que ele contribuiu efetivamente nessa minha mudança, na construção desse meu eu que estou conhecendo e por isso tenho mesmo que agradecer, de resto espero que siga sua vida e seja bastante feliz. Eu, cá estou, bastante feliz por não conseguir sofrer e seguindo minha vida.

Não entendo mesmo porque eu queria tanto sofrer, um dia quem sabe eu entenda, coisas da vida... Bom gente, é isso, tinha que escrever isso aqui pra me livrar de vez de uma dor que nem existiu, dor por não sentir algo, enfim...

Beijo bem grande pra todo mundo e uma linda semana.

Vou terminar com Caio Fernando Abreu que é simplesmente perfeito: " Não choro mais. Na verdade, nem sequer entendo porque digo mais, se não estou certo se alguma vez chorei. Acho que sim, um dia. Quando havia dor. Agora só resta uma coisa seca. Dentro, fora."

6 comentários:

Desabafando disse...

Que bom que apesar de tudo e dessa despedida você está bem. Será que seu coração já não previa que as coisas chegariam a esse ponto e talvez vc estivesse mais preparada do que acreditava estar.

andreia inoue disse...

que bom amiga que vc esta conseguindo superar tao numa boa,o importante eh se conhecer e respeitar as nossas limitacoes,e claro que o tempo que vc deu para analisar os seus sentimentos foi fundamental,
beijaooo.

Mauri Boffil disse...

Ai, chu chu!
que bom que vc esta praticando esses exercícios do coração.
Mega beso

Luiz Guilherme disse...

o homem é dessas coisas de virar para um lado e depois estar em um outro que sempre falava que nunca iria estar...é sempre assim...somos cheios de enganos e equívocos...

http://guilg7.blogspot.com/

vlw

Lou disse...

É, sofer é uma merda que pode virar um hábito.
Também adoro Caio...
Beijos!!!

A Língua Nervosa disse...

bomm né...nenm choros nem velas...o enterro se foi...o defunto descansou e a gente segue vivendo esta vida doidaaaaaaaaaaaaaaaaa...
bom domingão