quinta-feira, 3 de março de 2011

Muitas vezes a gente some sem motivo, simplesmente sumimos e quando a gente se toca já faz tempo que estivemos em algum lugar, que falamos com algumas pessoas, e aí a gente para e pensa: O que houve? Porque me afastei?

Já estava pensando nisso fazia alguns dias com relação ao blog, mas ai foi aniversário de uma amiga muito querida que chegou na minha vida através desse espaço, encontrei outra forma de parabenizá-la e quando ela agradeceu pelos votos que a ela ofertei, disse que sentia muito a minha falta aqui nesse espaço. Peguei-me então pensando mais uma vez em minhas motivações para ter me afastado daqui, a verdade é que não existe um motivo em especial, é verdade também que não deixei de visitar o espaço de todos que conheci por aqui, de saber da vida de cada um; mas escrever aqui, falar de mim, dos meus anseios, medos, angústias, sentimentos, falar disso acabou se tornando algo que não era mais tão necessário e aí comecei a me perguntar por quê.

Cheguei a conclusão então de que minha escrita é inquietação, criei esse espaço para me entender, através da escrita eu me reconheço a cada dia, e acredito que fugir disso por esse tempo foi uma forma de defesa, um jeito que encontrei de fugir de mim, de sentir o que eu queria sentir e não aquilo que eu sentia de verdade, sim, isso é possível, eu precisava esquecer algumas coisas, algumas pessoas, o que essas pessoas causavam em mim, eu precisava aprender a sentir saudade saudável, precisava aprender a gostar das lembranças e não mais me torturar com elas.

Hoje vejo que foi sim possível, nesse tempo em que fiquei reclusa é como se eu não me visse, como se eu não sentisse mais algumas coisas, evitei falar a mim mesma algumas coisas. Eu amo ter espaço, sou muitíssimo feliz por ter encontrado pessoas encantadoras através dele, pessoas que amo e admiro muito, mas tenho que dizer que eu sou a leitora mais importante, é pra mim mesma que escrevo, para essas tantas que sou, não falar por um tempo, deixar todas elas a mercê do acaso me fez bem, mas o convite de Andréia pra voltar aqui me inquietou muito e pensei nisso o dia todo, por isso resolvi observar melhor alguns dos meus comportamentos e sentimentos.

E agora sim posso dizer que é de verdade, os sentimentos não são mais os mesmos, o frio na barriga já não existe em algumas situações, a felicidade só em ouvir a voz já não é mais real, a sensibilidade foi abalada, alguma coisa quebrou e hoje tenho convicção de que coisas quando se quebram, por mais que a gente tente, por mais que possamos juntar os cacos, por mais que possamos reconsiderar, algumas coisas simplesmente não voltam. É um processo doloroso, escolha implica perda, sempre, e querendo ou não eu escolhi me defender, escolhi me defender das minhas tantas faces, e nessa escolha perdi algumas outras tantas possibilidades, mas ganhei também.

Ganhei maturidade, ganhei convicção, ganhei a oportunidade de seguir por caminhos jamais imaginados e eu me lancei, entrei em todas as portas que a mim se abriram, deixei de fazer tantas perguntas, passei a aceitar as respostas que a mim se apresentavam. E nessa empreitada conheci muita gente, hoje vejo a reviravolta da minha vida, as vezes nem acredito em tantas mudanças, pra ser bem sincera nem sei dizer ao certo quem é essa que hoje está aqui, das tantas que sou, essa eu não conhecia, mas tenho que admitir que ela sabe o que quer, sabe viver e o melhor de tudo sabe aproveitar tudo o que lhe é ofertado, sem perguntas, sem receios, sem dramas.

Confesso que minha sensibilidade foi afetada, a intensidade já não é mais a mesma, a emoção que ditava tudo em mim foi dando espaço à razão, aprendi que em certos momentos da vida não existe possibilidade de conciliar emoção e razão, escolhas precisam ser feitas, e eu escolhi nesse momento ser extremamente racional, algumas pessoas não me reconhecem e quando verbalizam esse desconhecimento me fazem pensar, porém penso que tudo isso está sendo bastante prazeroso.

Nesse último ano adentrei vários lugares, conheci pessoas incríveis, realizei alguns projetos, concretizei alguns sonhos e tenho permitido que pessoas cruzem o meu caminho, que oportunidades se mostrem a mim em todos os instantes, venho tentando me jogar pra vida, antes eu tinha muito medo de tudo, pensava um milhão de vezes antes de tomar uma decisão, hoje vejo que não existe muito tempo pra pensar, preciso viver.

Vejo que algumas pessoas já não estão mais comigo, algumas mesmo estando ainda aqui já não possuem mais o mesmo encanto, vejo que algumas coisas deixaram de ser, de importar, de fazer falta, no entanto não tenho tempo, não posso parar minha vida pra sentir essas faltas, a vida está correndo e eu quero correr junto, quero tudo, exatamente TUDO o que puder ser meu. Não quero nada como posse, quero coisas minhas em momentos que me façam bem, não quero minha vida girando em favor de algo ou alguém, aprendi que posso me bastar, pode ser que daqui a algum tempo eu volte a ser como fui um dia, mas hoje, essa que hoje vos fala está muito bem obrigada.

A vida é mesmo muito engraçada, acontecem coisas que nem imaginamos e que nos fazem tão bem, vivi algumas experiências muito prazerosas, uma delas é o fato de ser hoje bastante próxima de algumas pessoas que jamais imaginei, o fato de visualizar que minhas opiniões contam e muito, que o que eu penso e digo faz sentido e pra gente que eu jamais imaginei.

Há algum tempo atrás ter contanto com determinadas pessoas era algo um tanto quanto distante, hoje sento com essas pessoas como se nos conhecêssemos a muito tempo, conversamos de igual pra igual, vejo essas pessoas valorizarem a minha experiência, o meu discurso, as minhas opiniões, e o mais importante, vejo essas pessoas que já foram e continuam sendo exemplos pra mim, valorizarem quem eu sou, isso faz bem demais ao EGO e tenho que dizer que o meu vai muito bem também obrigada.

Vivi uma coisa engraçada essa semana, que foi também uma das motivações pra eu escrever hoje. Uma dessas pessoas que citei acima, pessoa muito importante nesse momento da minha vida e que vem se tornando muito especial nos últimos dias me disse algo que me intrigou muito. Essa pessoa disse que precisava conversar em particular comigo, devido ao fato de estar bastante surpresa com alguns comportamentos meus. Conversamos bastante, mas uma coisa que essa pessoa me disse mexeu comigo e me fez acreditar mais uma vez que somos mesmo seres multifacetados, ele disse assim:

- Adlianny você é uma menina que me surpreende a cada dia, observo já a algum tempo que você é muito sensível, cheia de medos e que gosta de pensar bastante e ouvir muito as pessoas, isso me fez acreditar que você era uma menina insegura, digo menina porque é isso que vejo quando olho pra você. No entanto, observei esses dias um outro comportamento seu, notei o quanto você se impõe em determinadas situações, como defende veementemente seu ponto de vista quando acredita em algo, e aí fiquei pensando, tão insegura e ao mesmo tempo tão segura de si. Esse seu jeito de ser faz você chamar muita atenção por onde passa e eu passei a te admirar muito.

Ouvir isso me fez pensar bastante, ainda mais porque foi dito por uma pessoa que a opinião conta muito nessa fase da minha vida, e percebi que isso é mesmo real, sou exatamente assim, uma contradição, mas aprendi a dosar isso nos últimos tempos, e vivo tão feliz...
Não vou fazer promessas de quando voltarei aqui, pode ser amanhã ou daqui a um mês, dois, três sei lá, até porque ainda estou me habituando a minha nova rotina, mudança de horários, novas atribuições, tudo está muito corrido, mas quando a inquietação não me deixar aqui estarei, escrevendo pra me entender.

Adoro quando os meus queridos passam por aqui pra ler meus devaneios, gosto muito de saber a opinião de vocês sobre tudo e dessa vez não é diferente. Peço desculpas pelo post imenso, mas eu precisava escrever isso, na verdade eu precisava ler isso, ler, saber como estou e tentar me entender. Talvez muita gente não entenda nada, mas o que importa mesmo é que estou bem...
Vou deixar aqui um trecho de uma música de Mariana Aydar que gosto muito e diz muito de mim: ♪ “Eu me entendo escrevendo e vejo tudo sem vaidade só tem eu e esse branco e ele me mostra o que eu não sei, e me faz ver o que não tem palavras, por mais que eu tente, são só palavras, por mais que eu me mate, são só palavras.” ♪

Beijo bem grande pra todo mundo.

3 comentários:

Déia disse...

Minha linda!!
Que saudade!
Eu estou sem net e morrendo de saudade de todos!
Escrever, é maravilhoso, expor nossas ideias...
Nunca deixe de se expressar!
saudae
bj

andreia inoue disse...

ola queridona,
amiga,que bom que vc voltou a escrever,adoro os seus textos e vc eh uma das pessoas que conheco nesse mundo virtual que melhor consegue traduzir os sentimentos em palavras.
Sei mais ou menos como vc se sente,realmente tem horas que falta motivacao,inspiracao,
tem horas que sentimos vontade de guardar algumas coisas que nos acontece apenas para a gente,para melhor entender.
Mais nao deixa de blogar,acho que compatilhando o que nos acontece,nem que seja por alto,sem entrar em detalhes,nos ajuda a nos situar.
Um beijao e nem preciso dizer que fiquei hiper feliz por vc esta de volta,seja bem vindaaaa!
:D
beijao.

Lou disse...

Ah, saudades!
Tb ando sumida do blog, pensando na vida, tentando me entender.
Beijos!