quinta-feira, 14 de abril de 2011

Às vezes a vida nos prega muitas peças, vai nos desalojando pra termos cada vez mais certeza de que não somos donos de nós mesmos, e aí nos pegamos fazendo, dizendo e pensando coisas que não são nossas. Machucamos pessoas, abrimos feridas difíceis de cicatrizar, falamos sem pensar, agimos por impulso e a dor se instala para as duas partes. A parte atingida não sabe o que fez pra merecer, sofre demasiadamente porque tudo poderia ser diferente e busca respostas que não existem. Já a parte que atingiu, aquele que feriu na maioria das vezes se arrepende, mas sabe que não pode voltar atrás, a única coisa que pode fazer é esperar, seu único aliado acaba sendo o tempo que no fim cura todas as feridas.

E enquanto o tempo não passa a dor fica cada vez mais forte, dilacera o peito, invade a alma, na verdade acho que é o preço que o tempo cobra pra nos dar de volta o que a vida nos tira. O tempo vai passando devagar, nos fazendo sentir de forma plena a dor que tanto maltrata, como que pra dizer: aprenda e não faça mais.

Os dias vão passando, a saudade é imensa, mas a dor é tão grande que sufoca o grito de saudade, cada sorriso que agora é negado machuca, cada palavra que seria dita em determinados momentos viram silêncio, silêncio de dor, cada olhar que antes diziam tantas coisas, olhares tímidos, mas que nos entregavam. Os olhares agora se escondem, miram tudo menos os olhos do alguém que machucamos.

Engraçado é que às vezes as coisas não estão muito bem postas, o atingido acha que atingiu, o machucado acha que na verdade machucou, as duas partes não conseguem assumir seu papel e fica aquele jogo, jogo no qual quem deve desculpar-se é sempre o outro e não eu. Vem sempre aquele pensamento: eu errei, mas ele também errou, se eu tenho que me desculpar porque ele não se desculpa também? E aí se instala aquela espera angustiante, um esperando pelo outro, um esperando que o outro assuma sua culpa.

As coisas deixam de ser, tudo acontece como se fossem dois estranhos, não se olham, não sorriem juntos, são apenas verbalizações necessárias, como se aquele ser a quem tanto amamos não estivesse mais ali.

É preciso ter muita força e coragem pra assumir um erro, pra fazer escolhas quando elas são necessárias, não é escolher uma pessoa ou outra, é escolher por você mesmo, pela sua felicidade, é abrir os olhos em determinado momento e admitir que errou, que indo por determinado caminho não se chegará a lugar algum, e que na maioria das vezes é aquele olhar que você desprezou, aquela mão que você soltou que te acolherá quando você perceber que trilhou o caminho errado.

Todos nós temos o direito de errar, mas temos também a obrigação com nós mesmos e com o outro de admitir que erramos, mas que apesar do erro queremos tentar de novo, queremos recomeçar, sempre.

É difícil às vezes nos afastarmos das pessoas que mais amamos na vida, na verdade nos afastamos de corpo, porque o sentimento não muda, é necessário nos darmos um tempo e dar esse tempo àqueles que amamos, porque amor demais às vezes sufoca não é mesmo?

A verdade é que falei muito de maneira generalizada e agora quero endereçar a você, a nós, estamos distantes e sinto a tua falta, mas sinto ainda dentro de mim a dor que algumas de tuas palavras e atitudes causaram. Uma dor que maltrata muito, uma dor que me faz sangrar, me faz pensar em tudo o que aconteceu naquele dia, dia em que me senti destruída, dia em que tu me disseste algumas coisas que não tem como esquecer e talvez eu também tenha dito muitas delas tentando me defender, talvez a tentativa de defesa tenha me feito te magoar, mas tudo foi tão difícil.

Continuo acreditando que seja a hora de mudar, que essa é sim a hora de você fazer algumas escolhas e talvez por pensar assim não consigo ainda me aproximar de você como antes, quem sabe isso passe logo não é? Quando digo que você precisa escolher, não falo de uma escolha entre pessoas, não estou pedindo pra você me escolher em detrimento de ninguém, quero que você escolha você, que opte por você em qualquer situação e que pare de deixar as pessoas decidirem sua vida.

Bom, eu queria ainda falar muitas coisas, mas creio que não seja necessário, só quero que você saiba que mesmo com tanta dor, com tanta mágoa e com esse afastamento que machuca tanto, mesmo com tudo isso nada mudou do meu sentimento por ti, o amor que sinto não foi afetado, você continua sendo uma das pessoas que mais amo nessa vida e será sempre, mesmo que nada mude.

O amor continua intacto, mesmo no silêncio continuo te amando e velando pela sua felicidade, você continua sendo a pessoa mais linda que conheço nessa vida, linda em todos os sentidos, por isso te peço: Não deixe que ninguém te cale, não deixe que ninguém te diga o que fazer,rompe com tudo e todos por você, porque nessa vida só nós valemos de verdade.

Amo-te como antes e pra sempre.

Adliany Rodrigues


P.S.: Texto escrito devido a uma mágoa para alguém que amo muito, esse alguém já leu e acredito que as coisas estão tomando o seu lugar.

Beijo pra todo mundo, beijo sabor valorize quem você ama.

4 comentários:

Déia disse...

Deu pra sentir sua dor!
nem sei direito o que dizer...mas espero que tudo se resolva da melhor forma possível!
bj

Lou disse...

Ai, que triste...
Beijo, querida!

Sandra Timm™ disse...

Sei exatamente o que vc está falando, amiga.

Cada palavra é tão triste e tão linda ao mesmo tempo pq é carregada de sentimento...

Infelizmente não temos em nossas mãos, o dom de solucionar essas coisas e ficamos à mercê de outros, de atitudes que não são tomadas, de palavras que não são ditas.

Só me resta torcer por você e desejar que tudo seja resolvido da melhor maneira possível.

Um grande beijo

Leidimara Araújo disse...

Adorei seu texto, era exatamente o que eu procurava agora!