quinta-feira, 9 de julho de 2009

Marcas...

Por conta de um fato inusitado fiquei pensando nessa palavrinha e nas implicações que ela pode trazer ou levar de nossas vidas...
Existem marcas de todos os tipos, tamanhos, cores e motivos. Marcas de amor, marcas de sofrimento, marcas de prazer, marcas de saudade... Marcas agradáveis e desagradáveis, necessárias e angustiantes, elas podem nos elevar ou nos "destruir" num piscar de olhos.
E eu me pergunto, que marcas tenho deixado por onde passo? Que marcas tenho oferecido às pessoas com quem convivo? Que marcas tenho permitido que as pessoas ou situações deixem em mim? Ou até mesmo, que marcas chegaram aqui sem a minha permissão?
Fiquei pensando na rapidez com que algumas marcas somem e o tempo que outras indesejáveis demoram até perderem o brilho inicial.
Fui me dando conta que preciso me preocupar mais com o meu percurso por esse palco de gigantes, preciso me envolver com e encarar de frente o outro que a mim se apresenta, preciso valorizar sua essência, marcá-lo de alguma forma e permitir as marcas que este tem para me oferecer.
Isso é complicado, algumas marcas chegam sem aviso prévio, mas suponho que se tivermos alertas com nossa caminhada elas serão encaradas com bem mais serenidade e discernimento, poderemos passá-las adiante ou avisar ao nosso semelhante: Não aceita, essa marca dói muito e demora passar...
Dentre as muitas marcas que existem hoje em mim, quero agradecer exageradamente as marcas deixadas por cada um de vocês aqui no meu espaço, cada marca fica também no meu coração e são marcas daquelas que a gente quer levar pra sempre, um agradecimento especial a cada um de vocês, quero também fazer um convite a todos, para que possamos estar sempre atentos a essas marcas, tanto as que deixamos como aquelas que recebemos, com ou sem aviso, se estivermos atentos, creio que tudo fará mais sentido.

P.s: O que escrevi não tem quase nada a ver com o episódio que desencadeou esses questionamentos, mas adoro isso, adoro os ganchos que só a escrita me permitem.

Só mais uma coisa: A marca que desencadeou o post é uma marca indesejada, marca que já tá indo embora, mas que foi deixada por um alguém especial num momento mágico, por isso encaro-a com um pouquinho de receio e um tantinho de satisfação, aproveitando essa loucura que me toma aproveito para parafrasear minha adorada Lispector: "Sou Tão misteriosa que não me entendo", tudo é mesmo um processo e no dia que chegar esse entendimento as cortinas serão fechadas, estarei me despedindo do espetáculo da vida e espero que seja ao som de aplausos hahahahahha.

Beijo amados.

7 comentários:

Lou disse...

Que post mais fofo, obrigada.
Suas marcas, pelo menos com relação a mim, são sempre positivas!
Bjim
P.S.: tem selo pra vc!

Casa Pré Fabricada disse...

Nós somos respondáveis pelos nossos atos e pelas consequências que eles causam nas outras pessoas, por isso é sempre bom estarmos atentos.

Bjs.

A Língua Nervosa disse...

adorei teu post, Adly!
Realmente acho que é necessário a gente refletir sobre o que fazemos com a vida que nos foi dada...e o que somos para os outros...porém há um fator complicador nisso tudo...pelo menos pra mim...eu às vezes acabo por viver a vida alheia...esquecendo um pouco de mim...então é bom enxergar a vida como um todo, onde temos necessidades diferentes...e seguir!
:0)
bjs

Gay Alpha disse...

Temos que dar valor a tudo e a todos. Mas não qualquer valor. Tem que ser o devido valor! Adorei! Grande beijo, querida!

andreia inoue disse...

amiga querida,adorei o post e me fez pensar em tantas coisas passadas e no que posso fazer para melhorar...
beijao!!

Mariposo-L disse...

Acho que esse lance de marcas entra no "ação e reação", tudo é resultado de alguma coisa, mas se ficarmos pensando "qual" vai ser a 'marca" ou "resultado" de nossas ações paramos de viver e só ficaremos pensando :)

Um abraço e vlu o comentario lá no blog :)

daiane_autentica disse...

Suas palavras me fazem lembrar das marcas que vc deixou em mim, boas marcas que as guardo em mim.
Não poderia deixar de citar Clarice né Ad? Essa maravilhosa escritora.

bjaummm

daiane