quarta-feira, 3 de março de 2010

A ti todo o meu carinho...


Ela já não se sentia muito bem, alguma coisa alí havia se quebrado, algo já não tinha o mesmo brilho e ela já não sentia mais tanta vontade de sorrir. Os risos eram arrancados, e nos momentos de risos ela se sentia feliz, mas tinha ainda a sensação de que algo já não mais exisita... Os dias iam passando e ela não conseguia distinguir o que era aquilo, não sabia mais diferenciar saudade de decepção, já não mais diferenciava encanto de raiva ou fascínio de mágoa.
Ela não gostava muito de parar pra pensar, já ouvira muitas vezes que pensar dói e alí podia constatar, dói mesmo e dói muito...
Naqueles dias ela se sentia só, tinha muita gente consigo, mas sentia um vazio que nada preenchia, de repente ela se deparou com um desconhecido, desconhecido que durante muitos dias foi sua única companhia, mesmo sem a presença, mesmo ausente, a voz do desconhecido trazia à ela paz, serenidade, vontade de sorrir e ela passava o dia a esperar a hora de mais uma vez sorrir... Como era doce aquela companhia, como fazia bem àquela menina desprotegida, talvez nem ele mesmo soubesse o bem que fazia, mas isso não importava, ela se sentia menos triste.
No entanto as mágoas não passaram, as feridas não cicatrizaram, a dor foi somatizada e numa peça pregada pelo destino ela se viu acuada, por um momento ela sentia como se seu corpo não respondesse, os membros não obedeciam e ela se via anestesiada. Por um instante tudo foi suspenso e ela viajou para um mundo distante, não se sabe com precisão por quanto tempo permaneceu, o que se sabe é que na volta desse tal mundo ela já não sentia mais suas pernas, o primeiro desejo foi falar com aquele desconhecido, mas o medo foi maior, a angústia tomou-a completamente, ela entrou em pânico.
Ela pensou rapidamente em meio aquele turbilhao e decidiu fugir dalí, será que perderia o contato com o desconhecido? Ele a abandonaria naquele momento?[será??]
Ela teve que passar por uma série de exames, uma pequena paralisia foi constatada, o pânico mais uma vez se instalou, mas ela precisava ter forças, o que tivesse que ser seria...
Ela chorava, tinha medo, sofria, mas em nenhum momento esquecia as palavras de carinho, as risadas, os bons momentos que o desconhecido lhe tinha ofertado, ela queria tanto viver tudo aquilo outra vez.
[A resposta] Não, ele jamais a abandonaria, quando ela menos esperou ele reapareceu enchendo tudo com o astral que até então ela desconhecia, irradiando risos e boas energias à vida dela que era naquele momento medo e agústia. Ele tinha um jeito especial de falar com ela, tinha um jeito que era dele de dizer a verdade sem maxucar, sem ferir, a única coisa que ele arrancava dela e diga-se de passagem com muita facilidade eram risos, bons e longos momentos de risada que foram para ela o remédio que médico nenhum receitou, mas que aquele desconhecido ofertou, sem pedir nada em troca, sem talvez imaginar o bem que fazia.
Ele dizia a ela coisas que ela jamais admitiria ouvir[ele sabe bem do que ela fala rsrsr], mas que ditas por ele soavam como mágica e faziam com que ela se sentisse uma menina, a menina que sempre foi e que a dor estava agora escondendo e ela se permitia, ria, ria e ria alto por horas e mais horas com um alguém que ela nunca vira e que talvez jamais conhecesse, mas que agora a conhecia tão bem...
A menina seguia sofrendo com dores físicas e muitas decepções, mas nada doía mais que aquelas cicatrizes que nela existiam, nada maxucava mais... Porém o desconhecido sabia o que fazer, como ele podia conhecê-la tão bem? Como ele podia saber exatamente o que ela precisava ouvir? Não importava, ela não queria mais perguntas, já existiam muitas em seu íntimo, ela queria apenas sorrir e com ele isso era fácil.
Ela tinha muitos amigos, muitos seres especiais que ligavam, perguntavam, se preocupavam, mas nenhum poderia se comparar ao desconhecido, nenhum sabia dela naquele momento como ele sabia, ele a conhecia e o mais importante, ele a aceitava.
Ela ainda sente hoje algumas dores, algumas coisas ainda não passaram, mas ele continua com ela e quando não aparece algumas vezes, mesmo assim ela esboça riso sincero, pois sempre que ele a deixa, deixa também boas energias e motivos para que ela passe dias e dias sorrindo...
Ela vai seguindo e tirando de cada situação a força que precisa pra seguir em frente, mas sem jamais tirar do rosto o lindo sorriso que o desconhecido mostrou que ela ainda podia ter.
Ainda falarei dela, contarei os capítulos seguintes de sua vida, por enquanto vou ficando por aqui...
*Talvez ele não tenha noção de tudo que causou na vida dela, agora ele vai saber, ela me pediu que escrevesse para que ele soubesse o que seu astral pode causar, as diferenças que pode ofertar para a vida de alguém. Digo-lhe então desconhecido que ela é muito grata por tudo, tem por ti um carinho especial e uma admiração que jamais ofertou a nenhum outro ser.
************************************************************************************
Oieeee gente, eu ando meio sumida, peço desculpa a todos, mas nesse período isso é necessário para que eu possa me recuperar o mais rápido possível, muita saudade de todos vocês, tô sempre no espaço de todo mundo, sem comentários porque o tempo corre e eu preciso retomar minha vida o mais rápido possível, mas prometo fazer um esforço e aparecer mais.
Essa é a história dela, ela que sou eu, num momento de angústia que se tornou um momento de aprendizado e muita risada graças a um ser muito especial que apareceu em meu caminho, só tenho a agradece e dizer-te que meu carinho por ti não tem tamanho.
Beijo pra todo mundo e um lindo finalzinho de semana.

11 comentários:

Desabafando disse...

Que bom que vc tem essa pessoa especial na sua vida mas e vc? Está melhor?

Jack Bauer disse...

que profundo...
eu sei que é pra mim isso.

mas profundo que isso, so dedo de proctologista no meu toba.

kkkkk!!!!

Lou disse...

Agora eu fiquei curiosa e quero saber quem é o desconhecido.
Pode ser?

Beijinhos fofa!

A Língua Nervosa disse...

há sempre anjos que cruzam nossos caminhos...

saúde, menina!
força!

Mesmo longe...te mando todas as energias boas possíveis e rogo a Deus para que ilumine tuas decisões e teus caminhos!

beijos

andreia inoue disse...

queridona,nao se preocupa em escrever nada por enquanto,o importante eh sua saude,e entendemos que vc tem um trilhao de coisas para resolver,e claro,se sobrar um tempinho,nada como nos presentear com seus textos sempre tao profundos e cheio de coisas praticas,q podemos utilizar na nossa vida tambem,umb beijao e se cuida.

PULCRO disse...

Aproveite.
Beijos.

Pulcro.

Mônica disse...

Ei, menina, to devendo essa visita pra vc, mas hj saiu! rs

Que vc fique realmente bem e que essa pessoa seja um anjo bom na sua vida.

Beijos

andreia inoue disse...

ola querida,to passando apenas para desejar um otimo comeco de semana,um beijaoooooo.

Déia disse...

Linda, vc ja reparou que sempre tem um anjo da guarda esperando pra nos dar a mão?

Sare logo, quero ver teu sorriso mais bonito, viu?

beijocas cheias de saudade!

Mauri Boffil disse...

se recupera, viu!

¨¨Édna¨¨ disse...

Florrrrr, eu disse que desenhava, mas não que os meus desenhos eram bons kkk

beijoooo